• PORQUE A EVOLUÇÃO É CONTÍNUA!!! Preencha seu e-mail e receba nossos Posts!

Saiba qual a raiz da frustração e livre-se dela!

FRUSTRAÇÃOMuitas vezes sem nos darmos conta, a frustração chega, sem fazer muito alarde. Surge um pesar, uma angústia, uma energia ruim que nos mobiliza sem muita razão de ser.

Quando você se dá conta, já está reclamando do vizinho, infeliz com seu trabalho, olhando tudo com olhos críticos, temendo seus piores fantasmas e achando sua vida uma lástima.

Como se não bastasse, as notícias do mundo são péssimas! E, ainda assim, existem pessoas sorrindo como se não percebessem o caos em que você está ou as grandes mazelas do planeta. Você já iniciou o dia com pensamentos como este?

Este mal pode ter vários nomes, mas escolhi tratá-lo por frustração como bem define o dicionário:

s.f. Ação de frustrar.
Psicanálise Estado do indivíduo que, por não ter satisfeito um desejo ou tendência fundamental, se sente recalcado: complexo de frustração.

Dentro deste cenário, parece haver um conjunto de desejos, expectativas aguardando realização para que o indivíduo se sinta feliz. Parece óbvio, mas é preciso aprofundar um pouco mais o conceito com exemplos.

limpeza

Lidando com frustrações

Sabemos o tamanho de nossa dor quando aquele telefonema não ocorre, quando não conseguimos ir ao show que tanto gostaríamos ou quando aquela roupa que amamos não nos serve mais.

Mas, e quando as pessoas não se comportam como gostaríamos? E quando nossa frustração é uma ferida antiga da qual nem tínhamos nos dado conta? E quando apenas sentimos dor sem saber seu exato motivo?

Ao longo do processo de crescimento, algumas feridas foram cicatrizadas  e outras ficaram abertas, sangrando. Já nem nos lembramos mais qual foi a ponta que as criou, mas elas ainda doem e exalam um cheiro característico de questões não curadas. Se não paramos para refletir sobre elas, ficamos apenas com a sensação ruim, sem nem saber exatamente de onde ou por que vieram. Por que esta dor?!

“Só tem futuro quem está em consonância com o seu passado. Quem está ressentido com seu passado, está atado, e, portanto, não está livre para o futuro”. Stephan Hausner

Quando nos dispomos a olhar nossas feridas com humildade, percebemos que algumas delas estão baseadas em desejos não realizados, frustrações, que não soubemos assimilar e ficaram lá nos machucando. É preciso ter coragem para olhar para as próprias feridas e arregaçar as mangas para limpá-las, só assim poderão cicatrizar! Reveja seus pontos frágeis, suas dores e frustrações!

limitesAceitando limites: os nossos e os alheios

Para o reino das expectativas, o céu é o limite! Há uma infinidade de possíveis desejos e expectativas não satisfeitas, porque não aprendemos a aceitar o limite das situações e das pessoas. Leia também O valor do NÃO para o amor.

Veja bem, não significa que não mereçamos conquistar algo ou que precisemos sofrer para realizar conquistas. Muitas vezes, as situações chegam a um ciclo de finalização ou as pessoas fazem o seu melhor, mas não podem oferecer o que NÓS precisamos. Exatamente por ser uma necessidade NOSSA, advinha quem deve satisfazê-la?

É preciso muita coragem e humildade para enxergar nossas necessidades e expectativas, olhar a nossa dor, enfrentar o mau cheiro das feridas e, com muito amor, cuidarmos de nós mesmos. Acredite: ninguém pode fazer isso por você! Ninguém pode saciar a SUA fome, ninguém pode aliviar a SUA sede e ninguém é capaz de entender as suas dores e necessidades como você mesmo.

“Felicidade é você se permitir se sentir bem com o que é, ao invés de desejar, e se lamentar, pelo que não é. Claro que o que é, é o que deveria ser, ou então não seria. O resto é só você, contestando com a vida.” Neale Donald Walsch

Tantas vezes as pessoas nos oferecem o melhor que elas podem e nós julgamos ser pouco, nós queremos o tipo ideal X. Noutras vezes, as pessoas nos ofertam migalhas e nós sedentos por qualquer coisa, aceitamos algo que não chega nem perto de ser o que procuramos. Em ambos os casos o problema é que estamos focados no externo, aguardando que venha de fora a realização de nossos desejos internos.

Pare de olhar para fora, reconheça suas necessidades e busque saciá-las!

Apego ou leveza: o que você escolhe?leveza

Quando percebemos o quanto estamos nos identificando com o lado de fora, temos a oportunidade de mudar isso. Para tanto é necessário aceitarmos o que nos é ofertado. Observe a diferença entre:

  • 1. O apego ao sofrimento:

“Eu não me conformo, ele sabe do que preciso e, mesmo assim, não me dá! Será que ele não vê como me faz sofrer?”

  • 2. A leveza do soltar:

“Sei que ele está fazendo o melhor que pode e SOU EU quem tem que completar o que ainda me falta!”

É preciso ESCOLHER com o quê iremos nos identificar: o apego ou a leveza! Se nos apegarmos aos desejos e expectativas, a consequência necessária será dor, fracasso e frustração. Afinal, as pessoas e situações jamais serão como gostaríamos. Ciente disso é preciso mudar o foco:

“Fechei os olhos e pedi um favor ao vento: Leve tudo que for desnecessário. Ando cansada de bagagens pesadas… Daqui para frente levo apenas o que couber no bolso e no coração”. Cora Coralina

Quando soltamos e deixamos as coisas apenas serem como são, nos concentramos no que já acontece de divino e abençoado em nossa vida. Assim, entramos num estado de paz e gratidão que nos renova a energia e nos fortalece para satisfazermos nossas necessidades com carinho, amor e respeito por nós mesmos. Leia também Paz interior .

iluminandoIluminando o caminho para escolhas conscientes

As bifurcações do caminho ficaram bem delineadas. Agora que você já as conhece, reflita sobre quais tem sido suas escolhas:

Frustração ou Gratidão? (Leia também Gratidão atrai Prosperidade)

Vitimismo ou Protagonismo? (Leia também A vida é o aqui e agora: use seu PODER PESSOAL!

Sofrimento ou Aprendizado? (Leia também ESCOLHA ser feliz: você tem este poder!)

Culpa ou Responsabilidade? (Leia também Como dissolver a culpa e MERECER a felicidade)

Você tem todo direito de escolher qual opção prefere, mas lembre-se os resultados de SUA decisão também são de sua responsabilidade.

Para os que prefiram ficar “em cima do muro”, vale outro lembrete fundamental: quando você se deixa levar, sem querer escolher, sua escolha já está sendo feita. Então, melhor agir de forma mais consciente e fazer suas escolhas de fato, não acha?

“Você é livre para fazer suas escolhas, mas é prisioneiro das consequências”. Pablo Neruda

Gostou do texto? Para receber novos posts preencha abaixo.

Seu e-mail (obrigatório)


Seu comentário é importante para nós!

Comentário(s)

Adicionar a favoritos link permanente.

Reflita Conosco!!!